Você pode contribuir para amenizar a crise econômica?

Jovem Pan News Joinville

A rede da informação

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on skype
Skype
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Imprimir

Você pode contribuir para amenizar a crise econômica?

Imagem: Getty Images
Imagem: Getty Images

Muito cobramos dos políticos, mas é importante entender o contexto e ver o que cada um pode fazer para amenizar os impactos da crise do coronavírus na economia e na sociedade. Felizmente, se cada um fizer sua parte na prevenção da transmissão do Covid-19 e nas suas atribuições profissionais e comerciais, podemos seguir crescendo e minimizando os impactos dessa crise que assolou gravemente nossa economia.

A) “A crise do Coronavírus não é uma crise econômica, é uma crise de saúde.”

Repeti muito essa frase para meus clientes nos meses de janeiro, fevereiro e início de março. E isso é uma verdade. A crise econômica começou quando viram que as medidas para contenção da transmissão do Covid-19 demandavam ações como quarentena e isolamento social, e isso impacta fortemente na produção e consumo mundial de muitos produtos e serviços. Aumentou ainda mais quando a crise, originária da China chegou com força no Ocidente, atingindo num primeiro momento a Itália, depois se alastrando para demais países e continentes em maior ou menor escala.

Como isso impactou exatamente?

Com a Quarentena, as pessoas não mais puderam sair para passear, trabalhar ou afazeres em geral, limitando seu consumo às compras básicas em farmácias e supermercados. Com isso o comercio foi restrito impactando no consumo, consequentemente no excesso de oferta de mercadorias em um primeiro momento, tendo que restringir a produção industrial e afetando na carência de oferta de mercadorias em um segundo momento. Além disso, muitas pessoas não puderam sair para prestar seus serviços, outras precisaram ser desligadas de seus empregos, afetando ainda mais o consumo e a renda de muitas famílias.
Ou seja, o impacto afetou o consumo, oferta e a renda das famílias, criando assim uma crise socioeconômica grave. Diferente do que vivemos em 2008 com a crise do Subprime, a crise do Coronavírus não foi ocasionada por ganância e alavancagem de determinados mercados, que se expuseram em riscos e acabaram impactando demais mercados por sua relevância. Foi uma situação de saúde mundial que não tem um culpado. Por isso todos querem fazer o possível para que a situação normalize o mais breve possível.
Com isso os governos e bancos centrais de todo o mundo estão traçando estratégias Keynesianas para injetar liquidez (dinheiro) na economia de alguma forma, com objetivo de amenizar os impactos da crise na população para que saiamos dela o quanto antes.

O racional das medidas Keynesianas para amenizar os efeitos da crise é o seguinte:

1) Normalizando a questão de saúde e segurança pública, tudo tende a normalizar exceto pela questão econômica;

2) Para resolver a questão econômica, precisamos retomar o consumo para que as empresas voltem a se reerguer e gerar emprego e renda, impulsionando o consumo e consequentemente a retomada do crescimento econômico mundial e a redução da desigualdade social. Isso deve ser feito o quanto antes;

3) Com injeção de dinheiro na economia real (através de ações como redução de juros, subsídios, emissão de moeda e auxílio emergencial) as pessoas voltam a consumir, resolvendo às questões econômicas mencionadas no item 2, logo acima;

4) Posteriormente os governos correm atrás de medidas para resolver as questões fiscais, a prioridade agora se tornou outra.

B) Importância de reserva de emergência

Como sou Economista e atuo com investimentos e educação financeira, não posso deixar de destacar aqui a importância de se ter um planejamento financeiro, onde uma reserva de recursos financeiros com liquidez imediata e baixo risco (volatilidade) é essencial para emergências e oportunidades.

Aqui temos duas situações:

1) Emergências:

Em tempos de Covid-19 muita gente perdeu seu emprego ou pelo menos teve boa parte de sua remuneração mensal afetada. Infelizmente ainda temos que considerar as pessoas que tiveram problemas de saúde incluindo o próprio Coronavírus e tiveram que se ausentar de suas atividades e de seus familiares para um tratamento relativamente complicado. Isso com certeza gerou impacto financeiro relevante em muitas famílias afetando sua qualidade de vida e criando uma série de preocupações.
Quem se planejou e tem seus recursos financeiros, pode passar por esse período de dificuldade com muito mais tranquilidade e segurança, pois terá recursos para suas necessidades essenciais deixando assim boa parte da preocupação de lado. Pode não parecer tão importante, mas essa tranquilidade por questões financeiras traz também muitos benefícios à saúde (imagine a pressão e preocupação de não ter recursos para por comida na mesa).

2) Oportunidades:

Você é empresário? Como está a saúde financeira do seu concorrente?
É empreendedor? Quais soluções você pode apresentar para resolução de problemas criados nesse novo contexto?
É investidor? Veja quantas empresas listadas na bolsa de valores continuam com geração de valor, solvência alta e lucros elevados, mas tiveram seu preço afetado de forma significativa, podendo obter bons lucros com a retomada da valorização desse ativo quando o mercado acalmar.
Está em busca de alguma aquisição pessoal? Veja quanta gente precisando de recurso e o quanto isso pode gerar uma barganha na compra de um imóvel ou automóvel, por exemplo.
Reserva de emergência está aí para isso. Com ela, conseguimos passar com mais tranquilidade e segurança nosso período de dificuldades, e conseguimos aproveitar as oportunidades que possam surgir nos momentos mais inesperados.

C) Lucro versus geração de caixa

Obviamente sabemos que todo empreendimento visa geração de lucros para seu crescimento, valorização e geração de valor para seus stakeholders (todos afetados pelo negócio).
Mas mais importante do que o lucro é a geração de caixa (fluxo de caixa positivo). Se a empresa gera lucro, mas tem fluxo de caixa negativo, ela precisa constantemente de injeção de recursos financeiros para conseguir manter sua operação em funcionamento.
Se ela gera fluxo de caixa positivo, constantemente ela acumula recursos financeiros, podendo gerar maiores investimentos e expansao do negócio.
Tanto o lucro quanto a geração de caixa são essenciais para a perpetuidade do negócio. Mas há momentos em que podemos renunciar um ou de outro por questões estratégicas. Por exemplo:

1) Caixa: Facilitar as condições de pagamento, concedendo prazo ou parcelamento
2) Lucro: Reduzir o preço final, reduzindo a margem de contribuição e afetando o lucro.

O objetivo principal dessa estratégia é manter a operação rodando, manter os empregos, manter relacionamento saudável com fornecedor, crescer no mercado ganhando escala em relação aos concorrentes e fidelizando novos clientes. Obviamente essa operação gera custos, mas se a empresa tem condições pode ser interessante num momento como o atual.
Além disso, podemos investir em novas estratégias como venda online, investimentos em marketing e outras formas de ganhar escala.

D) VOCÊ PODE CONTRIBUIR PARA AMENIZAR A CRISE ECONÔMICA!

Onde eu quero chegar falando sobre a crise do coronavírus, reserva de emergência, lucro e capital de giro?
Estamos numa situação de crise que afeta toda a sociedade. Há pessoas e empresas que detém elevados recursos financeiros e estão retendo esses recursos em segurança com medo de toda incerteza que essa crise mundial e as trapalhadas do nosso governo geram. O governo está fazendo sua parte, tentando gerar liquidez na economia, mas não é o suficiente.
Uma alternativa relevante para reduzir os efeitos da crise e gerar impactos sociais e econômicos relevantes é:

1) Empresários/Gestores:
Se o seu negócio está solvente e detém segurança financeira, Invista em marketing, potencializem seus negócios, tomem riscos calculados, façam promoções renunciando a seus lucros nesse momento, facilitem as condições de pagamentos.

2) Empreendedores:
Momento de crise sempre gera oportunidades, pois todo problema precisa de uma solução. Aproveitem esse momento e vão ao mercado em busca de alternativas de potencializar seu negócio. Há muitas empresas com sobra infraestrutura, podendo facilitar parcerias. Há muito investidor em busca de oportunidades para investir, e há muita gente precisando de soluções para sanar suas dificuldades. Pensem fora da caixa, façam a diferença.

3) Investidores:
Tomem riscos calculados. Busquem elevar seus ganhos no longo prazo. Se você tem perfil para tomar riscos calculados e já tem sua reserva de emergência, saia da renda fixa, já que a taxa Selic está tão baixa, e busquem alternativas para fomentar a economia real.
Há diversas formas de fomentar a economia sem pagar o spread elevado dos bancos, seja investindo em IPO e Follow-on de ações e FIIs, seja investimento em crédito privado (debendures, CRIs e CRAs), seja investindo em plataformas de crowdfunding para fomentar empreendimentos imobiliários e startups, entre outras alternativas que possam surgir. A redução da taxa SELIC tem esse objetivo, injetar liquidez na economia real. Faça sua parte, contribuindo para redução da desigualdade social.

4) Consumidores:
Independente se você é ou não uma das “personas” que listei acima (gestores, empreendedores ou investidores) você é um consumidor. Caso você tenha segurança financeira de uma reserva investida e uma geração de renda estável, vá as compras!
A sociedade precisa que você consoma. Não importa se estamos falando de imóveis, roupas, carros, alimentos ou quaisquer itens. Nós precisamos de uma retomada do consumo para que a economia volte a andar, para que tenhamos o menor impacto possível nos empregos e que isso tenha menor influência possível na desigualdade social.

Toda ação que um Gestor, empreendedor ou investidor possa tomar depende única e exclusivamente do retorno dos consumidores ao mercado. Só o consumidor que pode trazer de volta o crescimento econômico.
O que o governo pode fazer para isso? Apenar facilitar através de subsídios ou políticas públicas e conceder segurança jurídica e econômica.
Faça sua parte, tome todos os cuidados possíveis com a transmissão do Coronavírus, mas volte à sua vida comercial o quanto antes. Invista na economia, consuma e cuide de sua reserva de emergência. O Brasil e os brasileiros precisam de você!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on skype
Skype
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Imprimir
Pós graduação Ielusc
Drogaria Catarinense – Banner Lateral

Notícias Relacionadas

Coronavírus

Reunião discute novas medidas do decreto de restrições para em São Francisco do SUl

Na manhã desta sexta-feira (10), foi realizada na Prefeitura de São Francisco do Sul uma reunião para discutir as novas medidas do decreto n° 3.388 sobre as restrições no município para combater o avanço da Covid-19. Na ocasião, ficou definido que, no decorrer da próxima semana, será analisada a flexibilização de alguns setores do comércio.

Ler Mais →
Coronavírus

Governo de SC abre edital para contratação de hotéis para isolamento de servidores

Servidores estaduais que atuam nos hospitais de referência para tratamento da Covid-19, em especial os que coabitam grupos de risco, poderão manter isolamento para preservar familiares do risco de contaminação em hotéis contratados pelo Estado.

Ler Mais →
Cotidiano

Rua Santa Catarina receberá nova camada de asfalto em Joinville

A Prefeitura de Joinville, por meio da Secretaria de Infraestrutura Urbana (Seinfra), iniciou a aplicação de nova camada asfáltica na rua Santa Catarina. O trecho da via entre o fim da Avenida Getúlio Vargas (travessia da linha férrea) e a rua Botafogo recebe novo asfaltamento. Antes de receber o novo pavimento, o trecho passou pelo processo de fresagem, que consiste na remoção da camada antiga de asfalto.

Ler Mais →

Facebook JP News

Drogaria Catarinense – Banner Lateral
Pós graduação Ielusc

Últimas Notícias

Campanha Hiper Mais
Regularizar

Fique Conectado!

Coronavírus

Linha do Tempo